domingo, 18 de outubro de 2009

Inane

As águas matam
de inanição com o ar
da tua espera

Minhas raízes
Encharcadas de pó
Minhas lágrimas

Esquecidas da arte de chorar


tudo e nada
de uma sede úmida
de talhar palavras
No alquebrar de gotas
por uma vida que
não espera



M.C.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Por um canto Latino Americano



Homenagem à Mercedes Sosa, La Negra, que nos deixou este domingo, partindo em sonos e sonhos de uma América do Sul Livre.











La Negra


Morre
e nós, de luto
Cantamos


A voz escura
de bandeiras vermelhas


- e nós,
Cantamos -


Fronteiras
Sem paredes...
Andina,
Nordestina,
de uma luta
que não cabe na caixa


se espalha
Ao fim de uma sina
vestida de mar.


Duerme à tua hora,
Estrellita del alma
Duerme



que nosso corpo
segue à tua canção


M. C.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Propostas 2

Te proponho um beijar caudaloso,
desprendido e ácido
Sem amarras que vão além dos lábios

E os braços deslaçados como camas
feito um aberto exercício de mantra

Te proponho meus pés e os teus
Num miraculoso caminhar para a via
E nesse amor incomum, palavras-mudas
semeadas no jardim.

Quem sabe o que floresce das cartas
Neste jogo de pele?

Carne acima e abaixo
da umidade,
Me traz por completo


E eu três vezes me infinito.



M.C

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Meu amor,
Explícito em via pública,
Atenta
o pudor púbico

Meu amor,
distribuído em teus ouvidos,
a.garra o vermelho sim
do não pudico


Meu amor...
é primata e antecipado


Meu amor...
Casca de nuvem

.
e
Calhamaço inaudito
.


Esse amor, (?!)
ah se tivesse coragem!!

M.C.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Poema da memória

Ontem pensei em ti
E esta é uma bela imagem...


A memória é um quadro
Fun da me n tal
Pra quem pensa com o peito.

..

Ontem vi a lua
E o sol.

Ele
guardava seus cabelos
acalmava o seu furor
em reverências

(só por ela)

que não é só lua
Não é só astro
Mas os rostos que amamos,
Sem linha nem tempo.. .

Eu vi a lua
E a saudade
das águas sem fim



M.C

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Carneiros


Carneiros envoltos
em algodão
doce é
Brincar de ser
Aprendiz de amar
Nas m i n u cio sas noites
de Luar

Pulando pra espantar o sono
Quem ama não dorme
Antes de ser feliz
Antes de um lápis
ou giz
Riscar temporal
Antes de uma manhã
de Carnaval


Carneiros de volta
Algodão de ser
Aprendiz de Luar
Nas minuciosas noites
de Amar

M.C.

terça-feira, 23 de junho de 2009

A Natureza



A natureza mais bela

Soa antes do florescer

Reside na espera.
no ribeirão. .

em suas margens de tempo

Por isso nada perturbo

Deixo
Qu'in natura
reza a calma
Em natura reza a forma

Verde verde
que em mim deita,
acende estopim de lua...


M.C.

segunda-feira, 4 de maio de 2009



Aprendi a escutar o reflex -I
dos nossos desejos
a harpa cotidiana
dos nossos gritos
e todas as pedras
renitentes em seu silêncio


E neste espelho
me encontrei n'outras faces...

M.C.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

A fonte

Me era uma vez
Não há muito tempo
A fonte
de Desejos
moedas e do ensejo.


Por ela passaram copos
Baldes e árvores. Cada
qual com seu intento:
Ser pássaro, ser folha
e objeto.

Desaguava nas ondas do vento
da respiração da terra
até sumir uma rocha do rio.

Saí fortuito à ver o espelho
E vi que uma alma minguava.
Inumana, tácita e distante
Sem reflexo, seca e passante...

Na solidão das pedras
As águas eram quem tinham sede.

M.C.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Cores e Lírios

É sempre quando alguém vem e nos desperta um poder de céu nos olhos. Com carinho,




Menina lírio

dos olhos de lagoa
ginga no vento tua vaga
e teus véus

Menina lírio
dos olhos navegáveis
Porto de atenção
E inquietas brumas

(...)


Ancoro neste rio e penso:

Quantas e quais imagens
para descrever um sonho?



Menina Lírio dos olhos...




M.C.