domingo, 3 de janeiro de 2010




Poesia é dádiva compartilhada. Em tudo, arte armada no circo do caminho. Dos sonhos, inclusive os que não sonhamos, mas que florescem em outras mentes.





Verso pernambucado, embolante-bambado. Verso violão.

Nas curvas das letras, um pouco de Bigio pra vocês.




POEMA NO TOM


..................Para Milla Bigio



"Esse ACORDE
É para que você se deite.
..............E sinta o toque...


As cordas de aço
......Gritam:
Dó(i), Dó(i)!
...E o som majestoso se faz
Numa frequência física

Hertz

..Hearts

Uma só batida

Pode dar Samba
...Pode dar Samba;"



.....Mariane Bigio