quarta-feira, 2 de junho de 2010

O que sai do trajeto de casa para o trabalho... é o que dá dar aula em Lucena....



A Balsa e a Chuva

O porto
Comporta o mar
Que repete a chuva

O Barco
vê o cais vestido de noiva
rangendo a música
das agulhas
e de água chinesa
tricor
tando as costas



A alma é o resto
e
vê no porto-sol
O pôr-da-noite...
trafegáveis vagas
nas malhas
do destino


***********************

M.aresia

No mar
Vi um agulhão
Que nadava para o prato
Enquanto isso
Alimentava os olhos



M.C.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Presente

É bom vermos no coração do outro
Um ninho onde re pousar.
Onde pausar e refletir.
Sentir a lã do carinho
e com ela tecer outras mensagens...

Na extensão plena destas teias
dons de sermos felizes com palavras
e com risos
numa simples página azul...


Sim, a vida também é azul.
E branda. e ForTe.
E onde ela não alcançar
não faz mal.
No além da memória
Caminhamos de outras formas
os mesmos passos...





M.C.

domingo, 3 de janeiro de 2010




Poesia é dádiva compartilhada. Em tudo, arte armada no circo do caminho. Dos sonhos, inclusive os que não sonhamos, mas que florescem em outras mentes.





Verso pernambucado, embolante-bambado. Verso violão.

Nas curvas das letras, um pouco de Bigio pra vocês.




POEMA NO TOM


..................Para Milla Bigio



"Esse ACORDE
É para que você se deite.
..............E sinta o toque...


As cordas de aço
......Gritam:
Dó(i), Dó(i)!
...E o som majestoso se faz
Numa frequência física

Hertz

..Hearts

Uma só batida

Pode dar Samba
...Pode dar Samba;"



.....Mariane Bigio